28 de mar de 2016

Ministério da Saúde reforça atendimento durante os Jogos Olímpicos

As ações incluem a entrega de 146 ambulâncias, disponibilização de leitos de retaguarda nos hospitais federais e o lançamento da primeira fase de aplicativo para vigilância participativa
Para reforçar a assistência à saúde aos torcedores que acompanharão os Jogos Olímpicos e Paralímpicos Rio 2016, o Ministério da Saúde disponibilizará 146 ambulâncias durante o período das competições. A operacionalização dos veículos durante os Jogos também será garantida pela pasta, que liberou, na última segunda-feira (21), R$ 30 milhões para o Governo do Estado do Rio de Janeiro. Nesta quinta-feira (24/3), o ministro da Saúde, Marcelo Castro, se reuniu com representantes do governo do Estado do Rio de Janeiro e da prefeitura da capital fluminense para apresentar as ações da pasta no aprimoramento da infraestrutura e organização dos serviços.
Os repasses para custeio das ambulâncias serão transferidos em três parcelas (março, abril e agosto) e devem ser disponibilizados, por exemplo, para a compra de insumos, combustível, entre outros itens. Do total de ambulâncias que serão cedidas, dez unidades foram entregues em 2015 ao governo do estado. As demais estão à disposição para a retirada na fábrica em Tatuí (SP). Após as Olimpíadas, as ambulâncias serão distribuídas a outras cidades para renovação da frota do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU 192) de todo o país. O Ministério da Saúde investiu mais de R$ 42 milhões na aquisição e aparelhamento dos veículos.
“O compartilhamento de experiências, a renovação da frota do SAMU, a vigilância participativa e o preparo para atuação em emergências são legados que ficam para o país. O que está sendo investido pelo governo federal em qualificação da infraestrutura e organização dos serviços para as Olimpíadas servirá como legado para o atendimento contínuo da população brasileira após o evento”, destacou Marcelo Castro.
Também serão disponibilizados 130 leitos de retaguarda nos hospitais federais e institutos do Rio de Janeiro, sendo 62 clínicos, 58 cirúrgicos, quatro coronarianas e seis pediátricos. Além disso, estão sendo contratados 2.493 profissionais de saúde temporários, entre médicos, enfermeiros, técnicos em enfermagem e outras áreas para a rede federal de saúde no estado. Esses profissionais apoiarão o atendimento prestado à população durante os Jogos. Cerca de 80% já foram convocados desde janeiro deste ano.
GUARDIÕES DA SAÚDE – Seguindo a experiência bem sucedida da Copa do Mundo de 2014, o Ministério da Saúde também disponibilizará para a população o aplicativo Guardiões da Saúde. Na ferramenta, o usuário poderá indicar diariamente qual é a sua condição de saúde e, a partir da participação, o Ministério da Saúde, em conjunto com os governos municipais e estaduais, mapeará a ocorrência de sintomas similares relatadas em determinadas localidades. O aplicativo vai permitir a detecção mais rápida da proliferação de doenças e a adoção das providências necessárias para informar e proteger a população.
A proposta é que os usuários possam também acompanhar orientações sobre os cuidados com as doenças mais comuns no Brasil, como as transmitidas pelo Aedes aegypti. Ao informar, por exemplo, os sintomas que caracterizam o vírus Zika, o usuário receberá uma mensagem com a indicação para buscar um serviço de saúde. Outra funcionalidade disponível é identificação, por meio do mecanismo de geolocalização, de serviços como UPAs e Farmácias mais próximas.
O aplicativo já está disponível para download, gratuitamente, nas lojas virtuais Play Store e Apple Store e também pode ser acessada pela web. Em maio, será lançada uma nova versão com um módulo temático relacionado às Olimpíadas. A iniciativa é fruto de uma parceria com a ONG norte-americana Skoll Global Threats Fund (SGTF).
OUTRAS AÇÕES – As iniciativas desenvolvidas no âmbito da saúde incluem ainda a montagem de um centro de operações para atuar em ocasiões de emergência e auxiliar na organização da rede de assistência. O CIOCS (Centro Integrado de Operações Conjuntas da Saúde) será ativado a partir do dia 5 de julho – um mês antes do início dos Jogos – e segue até 5 de outubro. O Centro irá monitorar as situações de risco, a demanda por atendimento, a vigilância epidemiológica e sanitária, além de coordenar respostas diante de emergências em saúde pública.
O CIOCS foi criado em 2011 pelo Ministério da Saúde e já foi ativado em eventos como Copa das Confederações, Jornada Mundial da Juventude e Copa do Mundo de 2014. Com esse monitoramento, foi possível verificar que durante a Copa, apenas 0,2% dos participantes necessitaram de algum tipo de atendimento de saúde fora das arenas, como demonstra a experiência internacional, que prevê que, nos locais dos jogos, a necessidade de deslocamento a unidade de saúde de maior complexidade fica entre 0,2% e 0,5%.
Outra iniciativa é a atualização da página Saúde do Viajante (www.saude.gov.br/viajante) voltada a orientar o turista com informações para prevenção de saúde. A estratégia, implantada desde maio de 2013, contém dicas práticas e informações essenciais que ajudam os visitantes nacionais e internacionais a protegerem sua saúde durante a viagem. As orientações são direcionadas à prevenção de várias doenças, incluindo as transmitidas peloAedes aegypti e pode ser acessado nos idiomas português, inglês, espanhol e francês.
Cabe ressaltar que o período em que serão realizados os jogos é considerado não endêmico para transmissão de doenças causadas pelo Aedes aegypti. Em 2015, agosto foi o mês com menor incidência de casos de dengue no país. O Ministério da Saúde, a Secretaria de Estado da Saúde do Rio de Janeiro, a Secretaria Municipal de Saúde do Rio de Janeiro e o Comitê Organizador estão empenhados em garantir a segurança e a tranquilidade necessária ao público em geral.
 Fonte:
Por Amanda Costa, da Agência Saúde
Atendimento à Imprensa
(61) 3315 3580 e 3315-2351/3989

Que tal fazer um intercâmbio de curta duração na área Farmacêutica, em Portugal (Porto) e Espanha (Santiago de Compostela), e ainda participar de um Congresso Internacional? Farmacêuticos com CRF-RJ têm 10 % de descontos

Que tal fazer um intercâmbio de curta duração na área Farmacêutica, em Portugal (Porto) e Espanha (Santiago de Compostela), e ainda participar de um Congresso Internacional?

Gostou da ideia? Então venha participar da  ESCOLA INTERNACIONAL DE DERMOFARMÁCIA E COSMETOLOGIA (EIDC) !!

A EIDC acontecerá de 26 de junho a 3 de julho de 2016

Nos dias 26, 27, 28 de junho e 1,2 e 3 de julho na cidade do Porto e nos dias 29 e 30 de junho, em Santiago de Compostela.

Em paralelo com a EIDC teremos o  1º Congresso Ibero-Americano de Dermofarmácia e Cosmética. O Congresso é uma co-organização do ideHia e da Universidade Portuguesa CESPU.

Os inscritos na EIDC poderão encaminhar trabalho (abstract) para o 1º Congresso Ibero-Americano de Dermofarmácia e Cosmética.

Farmacêuticos com o CRF-RJ têm 10% de descontos.


Informações/inscrição:  escola.idehia@gmail.com






Quem se submete a fertilização in vitro terá de fazer teste do zika

Quem se submete a fertilização in vitro terá de fazer teste do zika

A partir de agora, quem se submeter a procedimentos de fertilização in vitro ou se disponibilizar a doar material biológico em bancos de células e tecidos terá de se submeter ao teste de detecção do vírus zika. A nova exigência foi estabelecida pela Diretoria Colegiada da Anvisa, em reunião nesta terça (22/03). O objetivo é evitar contaminação pelo vírus zika em pacientes que se submetem às técnicas de Reprodução Humana Assistida, em virtude da ocorrência da epidemia da doença no Brasil e da possibilidade de sua transmissão sexual.
Dessa forma, pessoas que se submeterem a um procedimento de fertilizaçãoin vitro poderão ter material coletado (óvulos e sêmen) somente após realizar exames de zika e o resultado for negativo.  
Doadores de óvulos congelados (gametas) cujos testes derem resultado positivo ou inconclusivo estão excluídos temporariamente da doação.
Na situação de doação de óvulos frescos (oócito a fresco), deverá ser realizado o teste até cinco dias antes da doação. 
“Considerando que o objetivo final da utilização de técnicas de reprodução humana é a gravidez, e que a infecção pelo vírus zika está relacionada aos casos de microcefalia em bebês de mães infectadas, tornou-se urgente a elaboração de critérios para doação de gametas e para realização dos procedimentos para uso em fertilização própria”, diz o diretor de Regulação Sanitária da Anvisa, Fernando Mendes, relator da proposta que determina os novos procedimentos.
A nova regra vai ser publicada em forma de Resolução de Diretoria Colegiada ainda nesta semana.
fonte: http://portal.anvisa.gov.br/wps/content/anvisa+portal/anvisa/sala+de+imprensa/menu+-+noticias+anos/201616/quem+se+submete+a+fertilizacao+in+vitro+tera+de+fazer+teste+do+zika

Audiência Pública debaterá uso de gordura trans em alimentos industrializados

Audiência Pública debaterá uso de gordura trans em alimentos industrializados

23 de março de 2016
Qual a melhor forma de atuação regulatória sobre uso de gordura trans industrial em alimentos? Este é o tema da Audiência Pública que ocorrerá no dia 28 de março, na sede da Anvisa, em Brasília. A reunião foi aprovada pela Diretoria Colegiada da Agência em razão da crescente demanda da sociedade para a adoção de medidas regulatórias mais efetivas para redução dessa gordura nos produtos.

O objetivo da Diretoria é obter informações adicionais sobre o uso de gordura trans industrial em alimentos e ampliar o conhecimento sobre o impacto das diferentes alternativas regulatórias disponíveis.

A Audiência é aberta ao público. Especialmente, aqueles envolvidos na produção e uso da gordura e suas alternativas tecnológicas em alimentos em pesquisas sobre o consumo e os efeitos na saúde da substância e na avaliação da efetividade de diferentes medidas regulatórias sobre o tema.

Os interessados em comparecer à Audiência Pública devem solicitar sua inscrição, informando o nome, a instituição que representam e o telefone de contato, por meio do e-mail:
 geare@anvisa.gov.br. As participações estão limitadas 240 lugares, capacidade do Auditório da Agência. Caso existam vagas disponíveis, também serão aceitas inscrições no momento da Audiência Pública, por ordem de chegada.

A Audiência Pública também será transmitida, ao vivo, a partir das 08h30min. Para acompanhamento do evento em tempo real, clique no link indicado ou copie e cole o endereço em seu Internet Explorer:
mms://200.214.130.45/DatasusVS7. Após, permita a abertura do programa e aguarde carregar. O software Microsoft Windows Media Player é necessário para exibição do vídeo ou o VLC Player para assistir direto do celular.

A pauta da Audiência Pública e outras informações relevantes sobre o tema podem ser encontradas no seguinte link: 
http://s.anvisa.gov.br/wps/s/r/dE9B
Dados do evento:
Data: 28 de março de 2016
Horário: 8h30 às 18 horas
Local: Sede da Anvisa, Auditório ( Setor de Indústria e Abastecimento  - SIA - Trecho 5 Área Especial 57, Brasília/DF).
FONTE: http://portal.anvisa.gov.br/wps/content/anvisa+portal/anvisa/sala+de+imprensa/menu+-+noticias+anos/201616/audiencia+publica+debatera+uso+de+gordura+trans+em+alimentos+industrializados

24 de mar de 2016

CFF aprova proposta para as Diretrizes Curriculares Nacionais do Curso de Graduação em Farmácia

Diretores, conselheiros e representantes do CRF-RJ durante o encontro
Representantes do CRF-RJ participaram, nesta terça-feira, 22 de março, da abertura do II Fórum Nacional para Discussão das Diretrizes Curriculares Nacionais do Curso de Graduação em Farmácia. No encontro, no auditório do Windsor Hotel, em Brasília, foi analisada a proposta para elaboração das diretrizes curriculares dos cursos de graduação em Farmácia. Pelo CRF-RJ, estiveram presentes o vice-presidente, Doutor Robson Roney Bernardo; o secretário-geral, doutor José Roberto Lannes Abib; o conselheiro federal Alex Baiense; e a presidente da Comissão de Ensino do CRF-RJ, Andreia Bartachini Gomes.O evento, que terminou nesta quarta-feira, timha como objetivo debater uma proposta de atualização das diretrizes. Um documento foi elaborado a partir dos resultados dos fóruns estaduais, do Congresso Brasileiro de Educação Farmacêutica (Cobef) - realizado nos dias 10, 11 e 12 de junho de 2015, em Salvador (Bahia) - e de sugestões enviadas por sociedades e associações profissionais, ao Conselho Federal de Farmácia (CFF). Para a tarde desta quarta-feira está prevista a leitura do documento, aprovado pela categoria, que será encaminhado ao Conselho Nacional de Educação (CNE), do Ministério da Educação (MEC).

“Quatorze anos depois de implantadas, as diretrizes ficaram em descompasso com a realidade da profissão farmacêutica. E é muito natural que queiramos debater e aprovar uma proposta que harmonize as sugestões de todos os envolvidos com o ensino, em todo o País”, observou o Presidente do Conselho Federal de Farmácia (CFF), doutor Walter Jorge João.

Ele salientou que a profissão farmacêutica é, hoje, “uma grande família”, e que, unida, ela tem conquistado importantes avanços. Disse, ainda, que a profissão está muito lá na frente, enquanto as diretrizes ficaram estanques, revelando a realidade farmacêutica de 14 anos para trás. Desde a sua implantação, vieram a prescrição farmacêutica, a Lei 13.021/14, a regulamentação da saúde estética, entre outras conquistas.

Na abertura do fórum, a representante da Executiva Nacional dos Estudantes de Farmácia (Enefar), Cristiane Manuela da Silva, ressaltou a importância de se discutir o ensino farmacêutico com a participação dos acadêmicos, e pediu que os debates em torno do tema sejam permanentes, e não se dê apenas em fóruns, congressos e outros eventos. “Eu peço aos organizadores dos eventos que fortaleçam, cada vez mais, a participação dos estudantes de Farmácia”, concluiu.

A presidente da Sociedade Brasileira de Farmácia Comunitária (SBFC), Carmen Íris Tolentino, em entrevista ao site do CFF, pediu que as diretrizes contemplem um modelo de ensino que torne o farmacêutico mais antenado com o mercado e, para isto, os currículos precisam trazer, de forma obrigatória, disciplinas voltadas para a gestão e para o empreendedorismo, para motivar os farmacêuticos a serem proprietários de farmácias, mas de forma bem-sucedida.

Já o representante da Associação Brasileira de Ensino Farmacêutico (ABEF), Paulo Arrais, em seu breve discurso, fez questão de destacar a vasta representação reunida no fórum. O evento, lembrou, conta com representantes de todas as instâncias do ensino, que vão dos estudantes aos professores e coordenadores, e isto certamente irá gerar um debate amplo e proveitoso.

A proposta em análise define, em seu Artigo 1º, o perfil do egresso dos cursos de Farmácia como “o profissional da saúde preparado para atuar no cuidado com o indivíduo, da família e da comunidade, com formação centrada na assistência farmacêutica, no conhecimento dos fármacos, dos medicamentos, de outros produtos para a saúde, de forma integrada às análises e toxicológicas, aos alimentos e aos cosméticos. A formação deve ser pautada em princípios éticos e científicos, capacitado para o trabalho nos diferentes níveis de complexidade do sistema de saúde, por meio de ações de prevenção de doenças, de promoção, proteção e recuperação da saúde, bem como na pesquisa e desenvolvimento de serviços e de produtos para a saúde”.

Dada à necessária articulação entre conhecimentos, habilidades e atitudes, a formação farmacêutica, de acordo com a proposta (Artigo 3º), deve estar estruturada em três eixos para contemplar o perfil do egresso: Cuidado em Saúde; Tecnologia e Inovação em Saúde; e Gestão em Saúde. Cada um desses eixos temáticos foi apresentado no plenário e votado pelos participantes.

O presidente do CFF fez questão de realçar que o projeto a ser debatido não pertence a nenhuma instituição, pois traduz a vontade de todos, por meio de um processo democrático. “Tudo o que concerne à profissão farmacêutica deve ser resultado da vontade da maioria”, afirmou Walter Jorge, adiantando que, assim que for aprovada, entregará em mãos a proposta ao presidente recém-nomeado do Instituto Nacional de Ensino e Pesquisa (Inep), Luiz Roberto Liza .

Fonte:http://crf-rj.org.br/portal/noticias/crf-rj-em-acao/1976-representantes-do-rio-participam-do-ii-forum-nacional-de-diretrizes-curriculares-nacionais.html

21 de mar de 2016

Operador da Lava Jato que estava foragido é preso em Portugal 25ª fase da operação foi deflagrada nesta segunda-feira (21), em Lisboa. Raul Schmidt foi preso suspeito de envolvimento em pagamento de propinas.

A polícia judiciária portuguesa cumpriu, na madrugada desta segunda-feira (21), a 25ª fase da Operação Lava Jato, em Lisboa. O operador financeiro Raul Schmidt Felippe Junior, que estava foragido desde julho de 2015, foi preso preventivamente. Esta foi a primeira operação internacional realizada pela Lava Jato e foi batizada pelas autoridades portuguesas de 'Polimento'.

Schimidt é alvo da 10ª fase da operação e é suspeito de de envolvimento em pagamentos de propinas da Petrobras à Jorge Zelada, Renato de Souza Duque e Nestor Cerveró, que também foram presos pela Lava Jato e estão detidos no Paraná. Segundo a Polícia Federal do Paraná, Raul Schimidt é tido como sócio de Zelada.
Além de atuar como operador financeiro, Schimidt aparece como preposto de empresas internacionais na obtenção de contratos de exploração de plataformas da estatal, de acordo com o MPF.
Ao G1, o Ministério Público Federal (MPF) informou que ele foi preso em um apartamento que fica em uma área nobre da cidade. As investigações apontam que o imóvel está avaliado em cerca de 3 milhões de euros e que estaria em nome de uma offshore da Nova Zelândia. A polícia também cumpriu um mandado de busca e apreensão no apartamento.
A PF informou que Raul permanecerá preso em Portugal enquanto é analisada a possibilidade de extradição e que o compartilhamento de provas colhidas auxiliarão nos trabalhos desenvolvidos pela equipe da Lava Jato no Brasil.
O nome de Raul Schmidt já tinha sido incluído no alerta de difusão da Interpol em outubro do ano passado.
Primeira operação internacional
A deflagração da operação Polimento foi um trabalho conjunto entre Portugal e Brasil, sendo que o cumprimento das medidas foi feito pela polícia judiciária portuguesa e pelo Ministério Público português. Autoridades brasileiras do MPF e da PF acompanharam as diligências.
Raul Schimidt é brasileiro e também possui nacionalidade portuguesa. Ainda segundo o MPF, ele vivia em Londres, onde mantinha uma galeria de arte, e se mudou para Portugal após o início da operação Lava Jato, em virtude da dupla nacionalidade.
24ª fase
A 24ª fase foi deflagrada no dia 4 de março e foi batizada de "Aletheia". Um dos alvos dos mandados de condução coercitiva foi o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva.
De acordo com o MPF, Lula é investigado por haver indícios de que ele cometeu os crimes de corrupção e lavagem de dinheiro oriundo de desvios da Petrobras, praticados por meio de pagamentos dissimulados feitos por José Carlos Bumlai e pelas construtoras OAS e Odebrecht.
Há evidências, segundo as investigações, de que o ex-presidente recebeu valores oriundos do esquema descoberto na Petrobras por meio de um apartamento triplex do Condomínio Solaris, no Guarujá (SP).
O depoimento referente ao cumprimento do mandado durou pouco mais de três horas e foi colhido em uma sala reservada da PF no Aeroporto de Congonhas, em São Paulo.
Logo depois, os advogados de Lula emitiram nota afirmando que a condução foi ilegal. O presidente do Instituto Lula, Paulo Okamoto, também teve um mandado de condução expedido e teve que prestar esclarecimentos à PF.
Grampos divulgados
Alguns dias depois do cumprimento do mandado, o juiz Sérgio Moro decidiu levantar o sigilo do conteúdo de investigações contra o ex-presidente. Ele justificou ter tornado a gravação pública afirmando que “a democracia em uma sociedade livre exige que os governados saibam o que fazem os governantes - mesmo quando estes buscam agir protegidos pelas sombras”. O juiz disse ainda que, sem sigilo, os investigados podem exercer amplo direito de defesa.
O juiz também disse que Lula sabia ou desconfiava que estava sendo monitorado na Lava Jato e que só autorizou o monitoramento telefônico do ex-presidente, as autoridades com foro privilegiado que aparecem nas ligações ou ligaram ou receberam ligações dele.
Na quarta-feira (16), o Palácio do Planalto chegou a anunciar a nomeação de Lula para o cargo de ministro da Casa Civil, no lugar de Jaques Wagner. No entanto, cerca de uma hora depois, o juiz federal Itagiba Catta Preta Neto, da 4ª Vara do Distrito Federal, suspendeu a posse por meio de uma decisão liminar (provisória).
A consequência prática mais imediata da nomeação de Lula para um ministério, no entanto, seria de que o ex-presidente sairia do alcance do juiz federal Sérgio Moro, da Justiça Federal do Paraná, responsável pela Operação Lava Jato na primeira instância.
Na sexta (18), o ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Gilmar Mendes suspendeu a nomeação para a Casa Civil do ex-presidente.
Na decisão, o ministro afirma ter visto a intenção de Lula em fraudar as investigações sobre ele na Operação Lava Jato. O petista ainda pode recorrer da decisão ao plenário do Supremo. Além de suspender a nomeação de Lula, Gilmar Mendes também determinou, na mesma decisão, que a investigação do ex-presidente seja mantida com o juiz federal Sérgio Moro.
No sábado (19),  a Advocacia-Geral da União entrou com um recurso no STF contra a decisão de Gilmar Mendes.
E neste domingo (20), advogados de defesa de Luiz Inácio Lula da Silva enviaram ao ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Teori Zavascki pedido para que ele seja o responsável pela análise das ações que tramitam no tribunal sobre a posse do ex-presidente na Casa Civil.
Para os advogados de Lula, o fato de Teori ser o relator da Operação Lava Jato no tribunal faz com que, "ao menos provisoriamente", ele seja o ministro responsável para analisar o caso.
fonte:
http://g1.globo.com/pr/parana/noticia/2016/03/pf-cumpre-25-fase-da-operacao-lava-jato-em-portugal.html


"Experiências Exitosas de Farmacêuticos no SUS". O objetivo é sensibilizar os gestores públicos de saúde sobre a importância do farmacêutico e provar que a gestão adequada de produtos e serviços é um dos fatores primordiais para que sejam cumpridos os princípios constitucionais que regem o Sistema Único de Saúde (SUS).

O Conselho Federal de Farmácia (CFF) edita, anualmente, a publicação "Experiências Exitosas de Farmacêuticos no SUS". O objetivo é sensibilizar os gestores públicos de saúde sobre a importância do farmacêutico e provar que a gestão adequada de produtos e serviços é um dos fatores primordiais para que sejam cumpridos os princípios constitucionais que regem o Sistema Único de Saúde (SUS).
As experiências comprovam que o trabalho farmacêutico qualificado interfere positivamente na melhoria do quadro geral de saúde da população local, favorecendo o acesso e contribuindo para o uso racional de medicamentos e reduzindo custos com compra de medicamentos e a perda de medicamentos vencidos tanto para Municípios, Estados e para a União.
A publicação traz o relato de experiências de sucesso de farmacêuticos que atuam na atenção básica, especializada e hospitalar do SUS, selecionados mediante inscrição por meio do site do Conselho. As inscrições são abertas no último trimestre de cada ano.
ATENÇÃO!
As INSCRIÇÕES para a edição de 2016 estão abertas até o dia 5 de abril pelo endereço: http://revistas.cff.org.br/


Fonte: http://www.cff.org.br/pagina.php?id=768&menu=768&titulo=Experi%C3%AAncias+Exitosas

A 22ª Conferência Mundial de Promoção da Saúde da UIPES acontecerá em Curitiba, Brasil. O objetivo é criar um fórum global onde pesquisadores, profissionais e formuladores de políticas envolvidos e comprometidos com a promoção de saúde e equidade poderão compartilhar e discutir novos conhecimentos, práticas e políticas inovadoras, além das experiências mais avançadas neste campo do conhecimento.

Histórico 
Iniciadas em 1951, em Paris, as Conferências Mundiais em Promoção da Saúde promovidas pela União Internacional para a Promoção da Saúde e Educação (UIPES), configuram-se como o principal evento para profissionais, pesquisadores, gestores e interessados na temática e têm acontecido nas diversas regiões do mundo. No entanto, desde essa época, só uma aconteceu na América do Sul, em Buenos Aires, em 1969.

Temática
Apesar dos crescentes apelos para que todos os níveis de governo atuem sobre os determinantes sociais da saúde e da equidade, tais como a distribuição de recursos e poder, a distância entre aqueles no topo e na parte inferior da hierarquia social continua aumentando. Os impactos sobre a saúde e a equidade se fazem sentir em nível nacional e localmente em nossas cidades, bairros e comunidades, onde grupos de pessoas não têm acesso aos recursos básicos com os quais construir a sua própria saúde e a de seus filhos e netos. Trinta anos após a adoção da Carta de Ottawa para a Promoção da Saúde por aqueles comprometidos a " enfrentar as desigualdades em saúde produzidas por normas e práticas (sociais) ", e mais do que nunca, a busca da equidade deve ser uma prioridade de políticos, profissionais, pesquisadores e todos aqueles envolvidos com práticas de promoção da saúde. A 22ª Conferência Mundial de Promoção da Saúde da UIPES será uma oportunidade única para avaliar o progresso, compartilhar estratégias e resultados de pesquisa, e refletir sobre práticas e políticas inovadoras que promovam a saúde e a equidade, em todos os níveis de governança. 
[veja mais]

Subtemas   
A fim de explorar em detalhes como promover saúde e equidade, e emergindo do trabalho mais inovador e atual no campo da pesquisa, política e prática de promoção da saúde, os seguintes subtemas vão estruturar a programação da conferência:
1 - Imperativos éticos e culturais em intervenções que promovam saúde e equidade
[ver mais]
2 - Mudanças urbanas fazendo diferença localmente, considerando vozes emergentes
[ver mais]
3 - Saúde em todas as políticas e ações intersetoriais: inovações na teoria, avaliação e pesquisa
[ver mais]
4 - Caminhos para alcançar o desenvolvimento humano sustentável e saudável em escala global
[ver mais]
5 - Criando questões de pesquisa compartilhados para aproximar a investigação da prática
[ocultar]
"Promovendo saúde e equidade" é essencialmente uma agenda orientada para a ação. Ela só pode ser alcançada mediante mudanças concretas na forma com que as sociedades estão organizadas e regidas, e nas condições sob as quais as pessoas vivem. Pesquisar como tais ações são planejadas e implementadas e como os resultados são produzidos, tornando-se sustentáveis e aplicáveis em escala ampliada, é importante não só para que tais ações sejam reprodutíveis, mas também para identificar e evitar, se possível, efeitos colaterais prejudiciais não intencionais. Afinal de contas, as intervenções realmente podem produzir efeitos mais amplos do que aqueles a que se destinam, e isso é ainda mais provável para intervenções complexas. Com base nas ideias sobre implementação da ciência e pesquisa em intervenções populacionais em saúde, a conferência irá criar oportunidades para apresentação e discussão de métodos de pesquisa e resultados que forneçam evidências sobre como implementá-los na prática.
Informações e inscrições: http://www.iuhpeconference2016.com/index.php

II FÓRUM NACIONAL para discussão das DCN do Curso de Graduação em FARMÁCIA, venha participar e dar sugestões de mudança curricular.


Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares (EBSERH) assume a Gestão do HUAP, UFF deixa de ter um hospital Universitário. O Governo PT destruindo e privatizando o ensino e a saúde deste Pais. Esta empresa que já funciona em Brasília não melhorou o atendimento da população da Capital Federal, muito pelo contrário, quem perde é a população de Niterói que reconhecia no Antonio Pedro a anos atrás um hospital de referência.

Após longos meses de intenso debate e ânimos acirrados, o Conselho Universitário (CUV), realizado hoje (16) deliberou pelo compartilhamento da gestão do Hospital Universitário Antônio Pedro (HUAP) com a Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares (EBSERH).
Estiveram presentes 71 conselheiros. Apesar das sucessivas tentativas de impedir o funcionamento do Conselho por parte das organizações sindicais e alguns estudantes, a ampla maioria de 53 conselheiros votou a favor da contratualização. Pela proposta ficam garantidos:
- Manutenção de “porta única de acesso” ao Hospital, exclusivamente pelo SUS.
- Proibição de contratação com Planos e Seguros privados de saúde, bem como Universidades privadas.
- Garantia da autonomia universitária.
- Garantia do fortalecimento da atividade acadêmica.
-  Respeito aos direitos dos servidores e fim do contrato precário de profissionais da saúde.
- Redimensionamento da força de trabalho com provimento de pessoal necessário ao pleno funcionamento do HUAP.
- Controle social da gestão com pleno funcionamento do Conselho Deliberativo.
- Aumento de leitos e serviços beneficiando usuários, com melhoras qualitativas no cuidado das pessoas.
-  Manutenção da propriedade do patrimônio e equipamentos do HUAP com a UFF, sendo feita uma cessão de uso, para que a Ebserh possa realizar manutenções e reformas necessárias.
- Gerenciar o cuidado de forma integral, interprofissional centrado na pessoa, baseado em evidência científica.
- Garantir os espaços de ensino, extensão e pesquisa nas dependências do hospital.
- Possibilidade de inclusão de cláusula que garanta a possibilidade da UFF romper o contrato, caso o mesmo não esteja sendo cumprido pela outra parte.
- Transparência no uso dos recursos materiais e financeiros, com prestação de contas ao Conselho Deliberativo do Hospital.

A reunião do Conselho foi realizada no auditório da imprensa oficial, no centro de Niterói, visando a garantia da realização da mesma e da integridade física dos conselheiros. Salientamos que as medidas protetivas que garantiram a realização do CUV tiveram que ser tomadas em virtude do histórico de truculência e agressões por parte das entidades sindicais que colocaram, por mais de uma vez, a nossa democracia universitária em risco.
A reunião do CUV se encerou às 10h30 não apenas com a garantia da sustentabilidade do HUAP, mas também com o fortalecimento da democracia interna da Universidade Federal Fluminense.
Divulgação: Ascom UFF
Fonte: http://rede.huap.uff.br/huap/
Nota do Prof. José Roberto Lannes Abib, O Governo PT destruindo e privativando o ensino e a saúde deste Pais. 
Esta empresa que já funciona em Brasília não melhorou o atendimento da população da Capital Federal, muito pelo contrário, quem perde é a população de Niterói que reconhecia no Antonio Pedro a anos atrás um hospital de referência.

19 de mar de 2016

Pesquisa identifica 574 casos de microcefalia severa no país Número é 66% dos registros em que a malformação foi confirmada

RIO E BRASÍLIA - Em pelo menos 66% dos 863 casos confirmados de microcefalia no país, a malformação cerebral foi classificada como severa, o que compromete gravemente o desenvolvimento da criança. Para nascidos no tempo regular, a partir da 37ª semana de gravidez, o critério corresponde a uma circunferência cefálica igual ou menor que 30,3 centímetros para meninas e 30,7 para meninos. Nos casos graves identificados, a média foi de 29 centímetros.

A informação inédita de que 574 casos, entre os monitorados pelo governo desde que a epidemia foi declarada no ano passado, são de microcefalia severa faz parte de um estudo do Ministério da Saúde, em parceria com a Organização Pan-Americana da Saúde (Opas) no Brasil. A pesquisa foi divulgada na publicação científica “Relatório semanal de morbidade e mortalidade” (MMWR, na sigla em inglês) do Centro de Controle e Prevenção de Doenças (CDC) dos Estados Unidos.

Entre outros objetivos, os pesquisadores queriam checar a real dimensão da explosão de casos nos últimos meses. Contestações sobre o tamanho da epidemia surgiram nos meios científicos e acadêmicos. A suspeita é que o aumento exagerado de casos poderia ser reflexo de uma eventual subnotificação histórica, uma vez que a malformação só passou a ser de registro obrigatório no país no fim do ano passado.

Até então, a notificação de casos de microcefalia, embora não fosse compulsória, era feita no Sistema Nacional de Nascidos Vivos (Sisnac). Só que o banco de dados usa parâmetros mais rigorosos para caracterizar a microcefalia: 30,3cm para meninas e 30,7cm para meninos. As medidas adotadas pelo governo, após a declaração da epidemia, são mais abrangentes. O primeiro critério foi de 33cm, ajustado para 32cm e, por último, estabelecido em 31,9cm para meninos e 31,5cm para meninas.

Diante da diferença de parâmetros, os pesquisadores passaram a reavaliar os casos notificados no âmbito da epidemia e, portanto dentro dos critérios mais largos, para ver quantos se encaixavam nas regras mais restritas do Sisnac. Foi dessa forma que chegaram aos 574 casos da malformação severa. O número, entretanto, pode ser maior, porque a amostra analisada no estudo refere-se às notificações feitas de 2015 a 7 de janeiro de 2016. No entanto, a cada boletim semanal divulgado pelo governo, os registros de casos suspeitos não param de crescer.

Na avaliação dos pesquisadores, os resultados mostraram que há, de fato, um aumento expressivo de casos de microcefalia no país, considerando-se que 574 registros em 2015 são quase cinco vezes mais que a média anual verificada no Sisnac entre 2000 e 2014 (157 notificações da malformação congênita). Para Claudio Maierovitch, diretor do Departamento de Vigilância de Doenças Transmissíveis do Ministério da Saúde, o estudo acaba com qualquer dúvida sobre a explosão de casos:

— Certamente tínhamos uma certa subnotificação, mas esse trabalho mostra que houve um aumento enorme de casos de microcefalia, mesmo quando usamos os mesmo critérios de classificação (de antes e depois da epidemia).

Dos 574 casos, 58,5% eram de meninas. Essa prevalência da doença entre os bebês do sexo feminino tem sido informada pelos estados, Os casos de malformação congênita grave ocorreram em 19 unidades da federação.

Fonte: http://oglobo.globo.com/rio/pesquisa-identifica-574-casos-de-microcefalia-severa-no-pais-18915943


17 de mar de 2016

Polícia Civil/DF: edital para perito tem vagas para farmacêuticos, O salário inicial é de R$ 16.830,35

A Polícia Civil do Distrito Federal (PC/DF) divulgou, nesta quinta-feira (10), o edital do concurso público que oferece 100 vagas, sendo 20 imediatas e 80 para formação de cadastro reserva (CR), no cargo de perito criminal.
A carreira requer nível superior nos seguintes cursos: ciências biológicas (2 + 9 CR), ciências contábeis (2 + 5 CR), ciência da computação/informática (2 + 10 CR), engenharia (7 + 32 CR), farmácia/bioquímica (1 + 4 CR), física (2 + 10 CR), geologia (1 + 3 CR), odontologia (1 + 1 CR) e química (2 + 6 CR).
O salário inicial é de R$ 16.830,35 para jornada de trabalho de 40 horas por semana.

Como participar do concurso
As inscrições do concurso da Polícia Civil serão recebidas entre os dias 30 de março e 5 de maio pelo endereço eletrônico do Instituto Americano de Desenvolvimento – IADES (http://www.iades.com.br), organizador do processo seletivo.
O valor da taxa de participação é de R$ 210 e poderá ser pago até 11 de maio.
Etapas do concurso
O concurso da Polícia Civil envolverá prova objetiva de conhecimentos gerais e específicos, de caráter eliminatório e classificatório; prova discursiva de conhecimentos gerais e específicos, de caráter eliminatório e classificatório; sindicância de vida pregressa e investigação social, de caráter unicamente eliminatório; exames biométricos e avaliação médica, de caráter unicamente eliminatório; prova de capacidade física, de caráter unicamente eliminatório; avaliação psicológica, de caráter unicamente eliminatório; prova de títulos, de caráter meramente classificatório; e curso de formação profissional, de caráter eliminatório e classificatório, a ser realizado na Academia de Polícia Civil do Distrito Federal (APCDF).
Com cinco horas de duração, as avaliações objetiva e discursiva serão aplicadas no turno da tarde do dia 19 de junho, em locais e horários a serem divulgados em 7 de junho no site das inscrições.

FonteJC Conscursos

Anvisa: posição a respeito do PL 4639

A Anvisa vê com preocupação a aprovação, na Câmara Federal, do PL 4639, que ainda passará pelo crivo do Senado. O PL 4639 autoriza o uso da substância Fosfoetanolamina como medicamento, sem que esta tenha passado pelos testes que garantam sua segurança e eficácia, como é exigido pela Anvisa e por todas as agências reguladoras do mundo, antes de autorizar o registro de um medicamento e seu consequente uso pela população.

Não há nenhum pedido protocolado na Anvisa para a realização de ensaios clínicos ou solicitação de registro dessa substância. Por isso, é absolutamente descabido acusar a Anvisa de qualquer demora em processo de autorização para uso da Fosfoetanolamina. O que há, de fato, é que uma substância que é utilizada há tantos anos nunca foi testada de acordo com as metodologias científicas internacionalmente utilizadas, para comprovar sua segurança e eficácia. Da mesma forma, os desenvolvedores dessa substância nunca procuraram estabelecer um processo produtivo em fábrica legalmente estabelecida e certificada para operar com qualidade.
Qualquer medicamento novo desenvolvido no Brasil, ou de uso relevante em saúde pública, recebe tratamento prioritário para as análises da Agência. Ou seja, se os desenvolvedores da Fosfoetanolamina, ou qualquer grupo de pesquisa do País, protocolarem solicitação para realizar os estudos clínicos que comprovem sua segurança e eficácia, a Anvisa o analisará com presteza e rapidez. Da mesma forma, receberá total prioridade de análise se algum fabricante apresentar o dossiê com os documentos técnicos necessários para a solicitação de registro dessa substância como um medicamento.
A única coisa inusitada em relação à Fostoetanolamina é o fato de que uma substância que foi desenvolvida há 20 anos, e vir sendo usada de maneira ilegal durante esse largo período, nunca ter suscitado em seus desenvolvedores a preocupação em fabricá-la em local adequado, realizar ensaios clínicos de acordo com os protocolos e, por fim, pedir seu registro. A Anvisa se coloca à inteira disposição do Congresso para colaborar com o debate e fornecer todas as informações técnicas possíveis.  No entanto, é importante ressaltar que liberar medicamentos que não passaram pelo devido crivo técnico seria colocar em risco a saúde da população e retirar a credibilidade da Anvisa e dos próprios medicamentos fabricados em nosso País.

fonte: http://portal.anvisa.gov.br/wps/content/anvisa+portal/anvisa/sala+de+imprensa/menu+-+noticias+anos/201616/anvisa+posicao+a+respeito+do+pl+4639

16 de mar de 2016

CRF-RJ com o apoio da UNIG oferecem o Curso de Administração de Injetáveis em Itaperuna


Objetivo:
Este curso tem como objetivo proporcionar uma nova abordagem das técnicas de administração de medicamentos, os cuidados com os pacientes e a segurança do profissional e as regras gerais para o preparo das medicações. O curso ainda proporciona o aprimoramento dos conhecimentos adquiridos e a consolidação de práticas de modo eficaz e com excelência, respeitando-se a legislação vigente.

Metodologia:
O curso será desenvolvido através de aulas expositivas com discussão dos temas e posterior treinamento das técnicas; análise de cenários da rotina profissional e atividades práticas. Curso com duração de 8 horas (um sábado).
Conteúdo Programático:
Regras para o preparo geral das medicações;
Nove certos;
O uso do equipamento de proteção individual (EPI);
Armazenamento de agulhas e seringas;
Código de ética;
Lavagem das mãos;
Infecção hospitalar;
Técnicas de aplicação: Intradérmica, endovenosa, subcutânea e intramuscular (Ventro glúteo, vasto lateral, dorso glúteo e deltóide);
Técnica com Catéter Intravenoso;
Técnicas em " Z ";
Soroterapia

Ministrante: Prof. Leonardo Guimarães de Andrade
Possui Graduação em Enfermagem, Pós Graduação em Enfermagem do Trabalho, e Mestrado em Doenças Parasitárias pela Universidad Autonoma de Asuncíon (U.A.A.) e Graduação em Odontologia, cursando especialização em Endodontia, cursando Mestrado em Ciências Ambientais. Atua como Professor na Universidade Iguaçu, nos cursos de Graduação em Ciências Biológicas e para o Curso Superior de Tecnologia em Petróleo e Gás, Curso Superior de Tecnologia em Gestão Ambiental, Curso Superior de Tecnologia em Segurança do Trabalho, Curso de Engenharia de Produção. Curso de Graduação em Enfermagem e Tutor a Distância IFRJ; Atualmente atuando na área de docência com ênfase do Trabalhador e Ambiental.

Dia da aula: 16 de abril de 2016 (sábado)
Horário: 9:00 às 18h00
Local da aula: UNIG Campus V Itaperuna - BR 356, Km 02, s/nº, bairro Cidade Nova, Itaperuna/ RJ

Requisito para inscrição: ser Farmacêutico regularmente inscrito no CRF-RJ.
Atenção!
Vagas Limitadas- As inscrições solicitadas serão confirmadas respeitando a ordem de recebimento das solicitações e o número de vagas disponíveis. As inscrições via e-mail encerrarão conforme disponibilidade de vagas.
Ausências não justificadas- Perde-se o direito de participar de outros cursos gratuitos oferecidos pelo CRF-RJ no ano de 2015.
Certificado -Será emitido digitalmente e enviado via e-mail para os Farmacêuticos que participarem integralmente do curso. O certificado será enviado em até 10 dias após o curso.

CRF-RJ com o apoio da UNISUAM oferecem o Curso Exames Laboratoriais Aplicados à Prática Clínica Farmacêutica em Campo Grande


Objetivo:
Capacitar Farmacêuticos quanto a utilização dos exames laboratoriais como ferramenta clínica fundamental no monitoramento farmacoterapêutico das principais doenças , a partir de correlações clínicas, diagnósticas e terapêuticas.
Metodologia:
O curso será desenvolvido através de aula teórica, com duração de 8 horas (um sábado)

Conteúdo Programático:
*Solicitação de Exames Laboratoriais;
*Interpretação Clínica do Hemograma;
*Interpretação Clínica de Marcadores Bioquímicos;
*Interpretação Clínica do Exame de Urina- EAS;
*Sessão Interativa de Casos Clínicos;
Ministrante: Dr. Rodolfo Fernandes de Andrade
Farmacêutico Analista Clínico (2013). Mestrando em Saúde, Medicina Laboratorial e Tecnologia Forense na Universidade do Estado do Rio de Janeiro (2015). Especialista em Ciências do Laboratório Clínico e Diagnóstico In vitro pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (2014). Possui Licenciatura em Química pelo Instituto AVM - Cândido Mendes (2014). Possui Formação Técnica em Análises Clínicas (2002). Atua como Técnico em Laboratório Clínico nas Prefeituras do Rio de Janeiro e Angra dos Reis (2008). Possui Experiência Prática Profissional em Coleta de Materiais Biológicos, Hemoterapia, Hematologia Laboratorial, Bioquímica Clínica, Uroanálise e Liberação de Laudos. Possui mais de 30 cursos de Extensão Universitária. Aprovado e Classificado em 11 Concursos Públicos para Técnico em Laboratório Clínico. Atualmente ministra Cursos de Atualização Profissional, Extensão Universitária, Preparatório para Concursos e Treinamento Profissional nas Disciplinas de Hematologia Laboratorial e Bioquímica Clínica.

Dia da aula: 2 de abril de 2016 (sábado)
Horário: 8h00 às 17h00
Local da aula: UNISUAM Unidade Campo Grande II - Av. Cesário de Melo, nº2571 / Campo Grande – Rio de Janeiro/RJ.

Requisito para inscrição: ser Farmacêutico regularmente inscrito no CRF-RJ.
Atenção!
Vagas Limitadas- As inscrições solicitadas serão confirmadas respeitando a ordem de recebimento das solicitações e o número de vagas disponíveis. As inscrições via e-mail encerrarão conforme disponibilidade de vagas.
Ausências não justificadas- Perde-se o direito de participar de outros cursos gratuitos oferecidos pelo CRF-RJ no ano de 2015.
Certificado -Será emitido digitalmente e enviado via e-mail para os Farmacêuticos que participarem integralmente do curso. O certificado será enviado em até 10 dias após o curso.
inscrições: http://crf-rj.org.br/portal/qualipharma/1921-curso-exames-laboratoriais-aplicados-a-pratica-clinica-farmaceutica-em-campo-grande.html