19 de fev de 2019

Farmácia foi a 3ª carreira que mais contratou em 2018

A profissão de farmacêutico ocupou a terceira posição no ranking das áreas que mais contrataram com carteira assinada em 2018, entre as carreiras de nível superior. O levantamento foi realizado pelo site Quero Bolsa, a pedido da revista Veja. Com 38.607 novas admissões formais, a Farmácia superou as carreiras de médico clínico (11.884), nutricionista (10.312) e fisioterapeuta (10.040).

A carreira com mais contratações foi a de analista de sistemas, com 47.692 vagas. Em segundo lugar, ficou a enfermagem, com 46.991. Atualmente, a área da Farmácia possui 135 especializações regulamentadas, ancoradas em 10 linhas de atuação, que englobam produção industrial e análise de alimentos, análises clínico-laboratoriais, educação, farmácia, farmácia hospitalar e clínica, indústria de medicamentos, gestão, práticas integrativas e complementares, saúde pública e toxicologia.

De acordo com o presidente do Conselho Federal de Farmácia (CFF), Walter Jorge João, o dado é um reflexo do intenso movimento clínico, liderado pelo CFF, que segue em franca expansão no Brasil. “Desde 2012, o CFF vem investindo em iniciativas que resgatam o farmacêutico como protagonista do cuidado à saúde dentro da farmácia comunitária, o segmento que mais emprega farmacêuticos no Brasil. E, na medida em que assume a sua autoridade técnica dentro da farmácia, o farmacêutico se torna mais valorizado e respeitado e, consequentemente, mais necessário. Claro que isso se reverte em empregabilidade”, comentou.

O farmacêutico é o profissional tecnicamente capacitado para atuar de uma ponta a outra da grande cadeia relacionada ao cuidado em saúde, seja do ponto de vista tecnológico, com a pesquisa, o desenvolvimento e a produção de novos fármacos e metodologias para diagnóstico laboratorial, seja do ponto de vista humanístico com a oferta do cuidado e dos serviços farmacêuticos ao paciente.

Confira a íntegra da reportagem da Veja – https://abr.ai/2UVpj7k



Fonte: CFF 
Autor: Comunicação

fonte: http://www.cff.org.br/noticia.php?id=5184&titulo=Farm%C3%A1cia+foi+a+3%C2%AA+carreira+que+mais+contratou+em+2018

Lotes de frango são recolhidos por risco de presença de Salmonella

A Anvisa publicou, nesta quinta-feira (14/2), aResolução 389/2019, que determina o recolhimento de diversos lotes de cinco cortes de frango da marca Perdigão.




A ação foi motivada pela suspeita de contaminação por Salmonella nos cortes de frango. O recolhimento abrange 23 lotes de cinco diferentes produtos.

A empresa BRF, dona da marca Perdigão, comunicou o recolhimento voluntário de coxas e sobrecoxas sem osso, meio peito sem osso e sem pele, filezinhos de frango, filé de peito e coração.

O problema foi identificado pelo controle de qualidade da própria empresa, que o comunicou à Anvisa e ao Ministério da Agricultura.
Qual o risco?

A bactéria identificada foi a Salmonella enteritidis. Este tipo de bactéria é eliminado quando o alimento é cozido, frito ou assado corretamente. Por isso, é importante o cuidado com o cozimento correto da carne de frango de forma geral.

Conheça nossa orientações para preparo de alimentos.

Confira os produtos e lotes afetados:

Produto

Lotes recolhidos

=> Cortes Congelados de Frango – Filé de Peito – Embalagem Plástica – 2 kg
Lotes recolhidos: 30/10/18 e 09/11/18

=> Miúdos Congelados de Frango – Coração – Embalagem Plástica – 1 kg
Lotes recolhidos:30/10/18; 05/11/18; 06/11/18; 07/11/18; 09/11/18; 10/11/18 e 12/11/18

=> Cortes Congelados de Frango – Filezinho (Sassami) – Embalagem Plástica – 1 kg
Lotes recolhidos:30/10/18; 05/11/18; 06/11/18; 07/11/18; 09/11/18; 10/11/18 e 12/11/18

=> Cortes Congelados de Frango – Meio Peito sem Osso e sem Pele – Caixa de Papelão (interfoliado) 15 kg Lotes recolhidos: 30/11/18; 07/11/18; 09/11/18 e 10/11/18

=> Cortes Congelados de Frango  Lotes recolhidos: 06/11/18; 09/11/18 e 10/11/18

Quer saber as notícias da Anvisa em primeira mão? Siga-nos no Twitter @anvisa_oficial e Facebook @AnvisaOficial

fonte: http://portal.anvisa.gov.br/noticias/-/asset_publisher/FXrpx9qY7FbU/content/lotes-de-frango-sao-recolhidos-de-forma-preventiva/219201?p_p_auth=lLYmsCXv&inheritRedirect=false&redirect=http%3A%2F%2Fportal.anvisa.gov.br%2Fnoticias%3Fp_p_auth%3DlLYmsCXv%26p_p_id%3D101_INSTANCE_FXrpx9qY7FbU%26p_p_lifecycle%3D0%26p_p_state%3Dnormal%26p_p_mode%3Dview%26p_p_col_id%3D_118_INSTANCE_veHKmkDUo2dN__column-2%26p_p_col_count%3D2

18 de fev de 2019

Como se prevenir de doenças transmitidas por alimentos contaminados

Medidas simples podem ser tomadas no dia-a-dia para evitar este transtorno.
Quem nunca comeu uma comida e sentiu que ela não caiu bem? Mais comuns do que imaginamos, as doenças transmitidas por alimentos ou água contaminados são síndromes que trazem sintomas geralmente gástricos, como náuseas, vômitos, diarreia e dor abdominal. Em casos mais graves, os sintomas vão além, atingem o sistema neurológico e o fígado, por exemplo. A boa notícia é que estas doenças são facilmente preveníveis. Medidas simples podem ser tomadas no dia-a-dia para evitar este transtorno.

Juliene Borges, analista técnica de políticas sociais do Ministério da Saúde, explica que na maioria das vezes os alimentos e a água contaminados se autodenunciam com odor, gosto ou até a aparência, com a cor alterada. No entanto, os grandes vilões são aqueles que não aparentam estar estragados. “Geralmente eles podem ser industrializados, como conservas e embutidos. Nem sempre eles apresentam características de que estão contaminados”, alerta.

Para evitar a contaminação, Juliene Borges dá algumas dicas de prevenção:

• Só beba água potável;
• Cuide da higiene pessoal, lavando bem as mãos antes de manipular e consumir alimentos;
• Cheque a temperatura em que os alimentos estão sendo conservados, especialmente as carnes e os produtos lácteos;
• Siga as orientações de embalagens sobre a validade, o armazenamento e o consumo de alimentos industrializados;
• Cozinhe bem carnes, para não as consumir com aspecto cru;
• Consuma apenas leite e derivados pasteurizados ou fervidos;
• Evite comer frutos do mar crus;
• Proteja os alimentos do contato com insetos e outros animais, especialmente roedores;
• Ao se alimentar fora de casa, observe a conservação dos alimentos (refrigerados ou aquecidos) e a higiene do local e de quem está preparando e/ou servindo.

Água limpa
Outras valiosas dicas são para evitar o consumo de água contaminada. “A orientação principal é para pessoas que não têm acesso a água potável para consumo. Ou seja, se elas não tiverem uma fonte que seja reconhecidamente de água potável, de uma rede de abastecimento público, ou água mineral de boa procedência, a gente recomenda que ela filtre a água ou ferva antes de consumir”, orienta a analista técnica.

Segundo Juliene, a fervura da água tem que ser por 15 minutos. Para filtragem, deve-se usar uma solução de hipoclorito de sódio, que é distribuída gratuitamente no serviço público de saúde. Só após a desinfecção, a água está própria para o consumo e para ser utilizada na preparação de alimentos.

Tratamento
Os sintomas de doenças transmitidas por alimentos costumam durar aproximadamente três dias. Depois disso, é indispensável que a pessoa contaminada procure o atendimento médico. Pessoas que apresentam além dos sintomas gástricos, como tontura, sangue nas fezes e urina com coloração diferente do habitual, devem ir aos serviços de saúde imediatamente, pois, é necessário suporte especializado ao paciente.

O tratamento é baseado na hidratação correta para a reposição dos minerais perdidos, além da alimentação saudável. “Crianças, idosos e pessoas com baixa imunidade devem ter uma atenção especial, assim que os sintomas iniciarem”, ilustra Juliene.

Para saber mais sobre estas doenças, acesse o site do Ministério da Saúde (www.saudegov.br), no menu Saúde de A a Z. As informações são valiosas para os profissionais de saúde e também para o cidadão comum entender mais sobre a prevenção dessas doenças.

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) atua com ações e orientações mais específicas com a legislação que rege a conservação adequada de alimentos. Acesse aqui o site da Anvisa.

Erika Braz, para o Blog da Saúde

fonte: http://www.blog.saude.gov.br/index.php/promocao-da-saude/53759-como-se-prevenir-de-doencas-transmitidas-por-alimentos-contaminados

MedSUS: O Aplicativo Dos Remédios

A lista de medicamentos disponibilizados pelo Sistema Único de Saúde (SUS), a Relação Nacional de Medicamentos Essências (Rename), está acessível agora pelo aplicativo MedSUS, desenvolvido pelo Ministério da Saúde para celulares smarthphones e tablets com sistema Android. Em breve também estará nos aparelhos com sistema IOS. 

O aplicativo disponibiliza ainda o Formulário Terapêutico Nacional, publicação com informações científicas sobre os fármacos da Rename, além das diretrizes terapêuticas e protocolos clínicos preconizados pelo Ministério da Saúde e usados pelos profissionais do SUS. O banco de dados da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) de empresas e medicamentos autorizados a serem comercializados no Brasil também está acessível na ferramenta.

Para o Secretário de Ciência, Tecnologia e Insumos Estratégicos (SCTIE) do Ministério da Saúde, Carlos Gadelha, o MedSUS é uma ferramenta que vai auxiliar os profissionais de saúde nas orientações necessárias no momento da prescrição e dispensação de medicamentos. “Nós desenvolvemos o aplicativo para consolidar em uma única ferramenta todo o material técnico que o Ministério da Saúde disponibiliza sobre os medicamentos indicados pelo SUS”, explica o secretário.

O aplicativo proporciona acesso facilitado a essas informações para médicos e demais profissionais de saúde, gestores e usuários do SUS. “Nos próximos ciclos de capacitação do Programa Mais Médicos, o aplicativo será apresentado para que todos possam acessar as informações e indicar os medicamentos que o SUS disponibiliza. Esta iniciativa certamente contribuirá muito para o uso correto dos medicamentos pela população mais necessitada do País, agindo de modo integrado para o sucesso do Mais Médicos”, ressalta Carlos Gadelha.

Usuários também poderão ter acesso mais fácil às informações sobre os remédios que precisem. “Tem uma área do aplicativo chamada de ‘informações ao paciente’ com as orientações necessárias. Se deve tomar em jejum, com água ou sucos e os cuidados com o armazenamento do medicamento”, informa a farmacêutica e técnica do Departamento de Assistência Farmacêutica e Insumos Estratégicos (DAF) do Ministério da Saúde, Marcela Amaral, responsável pelo desenvolvimento do aplicativo. 

O MedSUS permite realizar a pesquisa do medicamento pelo princípio ativo, nome genérico ou nome comercial; auxilia no cálculo de doses de medicamentos; tem informações sobre os efeitos adversos do remédio, aspectos farmacêuticos, entre outras orientações. Outra funcionalidade do aplicativo é que permite ao médico compartilhar as informações com o paciente por e-mail. 

“Ele é todo baseado no formulário terapêutico, outras guias e protocolos que já estão disponíveis na internet. O aplicativo vem para consolidar esse material e possibilitar pesquisas mais rápidas”, afirma a técnica do DAF, Marcela Amaral.

Lucas Pordeus Leon / Blog da Saúde

Fonte: http://www.blog.saude.gov.br/servicos/33612-medsus-o-aplicativo-dos-remedios

I Congresso de Ciências Farmacêuticas do Centro-Oeste, 25 a 27 de abril de 2019


Sobre o Congresso

No exercício de 2019 o CRF/DF comemorará 50 anos de existência e, para que possamos celebrar essa data em grande estilo, nos dias 25 a 27 de abril de 2019 estaremos realizando o I Congresso de Ciências Farmacêuticas do Centro-Oeste, com o tema: “A Integralidade do Cuidado Farmacêutico", juntamente com os Conselhos dos Estados do Goiás, Mato Grosso e Mato Grosso do Sul, em um dos locais mais nobres e confortáveis de Brasília, no hotel Royal Tulip Brasília Alvorada, Setor de Clubes Norte.


O referido Congresso contará com uma programação rica em conteúdo das mais diversas áreas de atuação da profissão farmacêutica, englobando outros 06 (seis) eventos nos segmentos: Farmácia Clínica, Hospitalar, Análises Clínicas, Magistral, Farmácia Estética e Cosmética, Nutracêuticos, dentre outros. Para isso, estarão presentes renomados conferencistas do âmbito nacional, que juntos irão debater esses e demais temas e definições de grande relevância e abrangência para a área farmacêutica, em um momento de plena ascensão e expansão da profissão, em que as práticas clínicas se consolidam, criando um novo papel para o farmacêutico perante a saúde pública e a sociedade.

PALAVRA DA PRESIDENTE

Brasília estava merecendo um grande evento científico para congregar os farmacêuticos e demais profissionais de saúde em um momento de aprendizado e confraternização. O ano de 2019 foi escolhido porque o CRF/DF comemora seus 50 anos de existência e conquistas. Atualmente, são mais de 8.000 profissionais inscritos na autarquia, e a população do DF reconhece a importância desse profissional como um dos principais agentes de saúde no cuidado à saúde. Nesse sentido, é com uma enorme alegria que recebemos os colegas farmacêuticos, estudantes e demais profissionais da saúde para o I Congresso de Ciências Farmacêuticas do Centro-Oeste, cujo tema central é: “A Integralidade do Cuidado Farmacêutico”. Este evento, permitirá a participação de 1.200 farmacêuticos, estudantes de Farmácia e demais profissionais de saúde do centro-oeste e de outros estados. Serão oferecidas diversas atividades técnico-científicas, entre palestras, mesas redondas e mini-cursos.

O evento foi pensado e organizado para oferecer capacitação em áreas vitais para a profissão farmacêutica, incluindo os analistas clínicos. Por isso, o Congresso reúne: I CONGRESSO DE ANÁLISES CLÍNICAS E CITOLOGIA CLÍNICA DO PLANALTO CENTRAL; I SIMPÓSIO DE FARMACÊUTICOS ESTETAS DO CENTRO-OESTE; II ENCONTRO DISTRITAL DE PROFESSORES E PROFISSIONAIS DE FARMÁCIA CLÍNICA; I JORNADA DE PRÁTICAS INTEGRATIVAS E COMPLEMENTARES DO CENTRO-OESTE; I ENCONTRO DISTRITAL DE RESIDENTES EM FARMÁCIA; II JORNADA FARMACÊUTICA DE CUIDADO AO IDOSO.

Aguardamos, ansiosamente, os profissionais para juntos avançarmos em temas de grande relevância para a saúde da nossa população.


Dra Gilcilene Chaer
Presidente do Congresso

Maiores informações: http://congresso.crfdf.org.br/

fonte: http://www.crfdf.org.br/site/index.php

14 de fev de 2019

Cursos ministrados pela Farmacêutica Gabriele Brasil Barbiere

Cursos



CURSOS PRESENCIAIS E À DISTÂNCIA!


CONFIRA...


2019




Para o Curso Vip turma 2.0 acesse:

https://www.eventbrite.com.br/e/turma-20-curso-vip-como-empreender-no-consultorio-farmaceutico-tickets-53211542155?aff=erelexpmlt





À DISTÂNCIA (EAD)






*Promoção do colar com um pingente válida até quando durarem os estoques!






CURSO COMO MONTAR UM CONSULTÓRIO FARMACÊUTICO? (MÓDULO 1)
VIGILÂNCIA SANITÁRIA: COMO SE PREPARAR PARA A INSPEÇÃO INCLUSIVE EM CONSULTÓRIOS (MÓDULO 2)


CARGA-HORÁRIA TOTAL: 120H (INCLUI CERTIFICADO)


INVESTIMENTO: De R$ 350,00 (Depósito Itaú, boleto ou cartão de crédito em até 12x)


OBJETIVO:


Abordar os aspectos técnicos e jurídicos da estruturação de um Consultório Farmacêutico, bem como sua gestão e serviços agregados para a manutenção da qualidade de vida do paciente, além de preparar o profissional para uma possível inspeção sanitária.


CONTEÚDO PROGRAMÁTICO MÓDULO I:


- Mercado farmacêutico atual;
- Objetivos do consultório farmacêutico;
- O que o farmacêutico pode prescrever? – Aspectos legais e éticos baseados na Resolução CFF 586/13;
- Consultório Farmacêutico baseado na Resolução CFF 585/13;
- Serviços agregados ao consultório farmacêutico;
- Serviços de estética no consultório farmacêutico baseado na Resolução CFF 573/13 e Resolução CFF 616/15;
- Quanto cobrar pela consulta e demais serviços?
- Publicidade/divulgação do consultório;
- Fidelização da clientela;
- Investimento para montar um consultório farmacêutico autônomo (privado);
- Softwares disponíveis como ferramenta para a prescrição farmacêutica;
- Documentos exigidos para legalização do consultório farmacêutico;
- Vídeos, legislações e outros materiais de apoio.


CONTEÚDO PROGRAMÁTICO MÓDULO II:


- SISTEMA NACIONAL DE VIGILÂNCIA SANITÁTIA – ANVISA E VISA
- LEGISLAÇÃO SANITÁRIA BRASILEIRA
- RISCO SANITÁRIO – GESTÃO – PLANEJAMENTO
- RISCO X PERIGO - GRAU E CLASSIFICAÇÃO DE RISCO
- BOAS PRÁTICAS FARMACÊUTICAS – DOCUMENTAÇÃO LEGAL
- RDC 44/2009 – LEI 13.021/14
- A INSPEÇÃO – COMO RECEBER O INSPETOR?
- PONTOS CRÍTICOS DA INSPEÇÃO EM FARMÁCIAS COM MANIPULAÇÃO E EM DROGARIAS
- PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS FARMACÊUTICOS
- PRESCRIÇÃO FARMACÊUTICA
- FARMACOVIGILÂNCIA E TECNOVIGILÂNCIA
- COMO INSTALAR O CONSULTÓRIO FARMACÊUTICO / ESTÉTICA
- LEGALIZAÇÃO E GESTÃO DO CONSULTÓRIO FARMACÊUTICO
- POSTURA ÉTICA DO PROFISSIONAL FARMACÊUTICO NA FARMÁCIA E NO CONSULTÓRIO





CURSO NOÇÕES DE PRESCRIÇÃO DE SUPLEMENTOS PARA HIPERTROFIA MUSCULAR, EMAGRECIMENTO E MIP`s


CARGA-HORÁRIA TOTAL: 100H (INCLUI CERTIFICADO)


INVESTIMENTO: De R$ 300,00 (Depósito Itaú, boleto ou cartão de crédito em até 12x)


OBJETIVO:


Aprimorar os conhecimentos dos profissionais prescritores, citando a gama de produtos que podem ser utilizados para suplementação pré-treino e pós-treino para um indivíduo praticante de atividade física ou até mesmo atletas esportivos.


CONTEÚDO:


- O que se pode prescrever e como prescrever? – Aspectos legais e éticos (ênfase no profissional farmacêutico)
- Noções de Semiologia;
- Prescrevendo Suplementos para ganho de massa muscular;
- Monitoramento bioquímico através de exames laboratoriais durante a suplementação;
- Prescrevendo Vitaminas;
- Prescrevendo MIP`s (Medicamentos Isentos de Prescrição);
- Probióticos e Prebióticos;
- Sugestões de formulações para hipertrofia muscular, saúde dos cabelos e unhas.
- Softwares disponíveis como ferramenta para a prescrição farmacêutica;
- Vídeos, legislações e outros materiais de apoio.


PÚBLICO-ALVO:
Farmacêuticos, nutricionistas, acadêmicos e demais interessados.





CURSO INFECÇÃO HOSPITALAR X BIOSSEGURANÇA


CARGA-HORÁRIA: 80H (INCLUI CERTIFICADO)


INVESTIMENTO: De R$ 125,00 (Depósito Itaú, boleto ou cartão de crédito em até 12x)


OBJETIVOS DO CURSO: Infecção hospitalar é qualquer infecção contraída por pacientes durante internação hospitalar gerando sintomas que podem se manifestar durante a internação ou após a alta. Biossegurança Hospitalar é um conjunto de normas que visam à redução de riscos a saúde do trabalhador, orientando estes ao manuseio e descarte de produtos, medicamentos, substâncias etc. Através de um conteúdo simples e didático o aluno aprende a prevenir as infecções hospitalares e a aprimorar as questões de biossegurança na unidade de saúde. Esse curso também conta com dezenas de POP`s (Procedimento Operacional Padrão) para auxiliar o aluno a implantar normas de segurança em uma instituição hospitalar.


CONTEÚDO PROGRAMÁTICO:


· Definição de infecção hospitalar
· Transmissão das infecções hospitalares
- Perigo x Risco
· Classificação das áreas físicas hospitalares
· Tipos de infecção hospitalar
· Sepse
· Biossegurança
· Tipos de risco
· Conduta após acidente biológico
· Precaução padrão
· Equipamentos de proteção EPI e EPC
· Tipos de isolamento
· CCIH
· Resumindo a atuação da CCIH
· Principais medidas para prevenção de infecções hospitalares
· Lavagem das mãos
· Desinfecção
· Esterilização
· POP`s (modelos diversos) e vídeos como material de apoio


PÚBLICO-ALVO: Profissionais da área de saúde e demais interessados.












CURSO BÁSICO DE PRIMEIROS SOCORROS


CARGA-HORÁRIA: 80H (INCLUI CERTIFICADO)


INVESTIMENTO: De R$125,00 (Depósito Itaú, boleto ou cartão de crédito em até 12x)

OBJETIVO:


Salvar vidas! Fazer a diferença! Preparar o aluno para efetuar os primeiros atendimentos e ter capacidade de intervir em situações que causem risco ou outro possível dano à vítima.


CONTEÚDO PROGRAMÁTICO


- NR-7 – Programa de Controle Médico de Saúde Ocupacional (PCMSO)
- Conceito de Primeiro Socorro
- Atendimento pré-hospitalar
- Procedimentos nas emergências
- Os 10 mandamentos do socorrista
- Aspectos legais dos Primeiros Socorros
- Asfixia
- Afogamento
- Hemorragia interna e externa
- Ferimentos / Traumas
- Tipos de choques
- Desmaio
- Crise convulsiva
- AVE / AVC
- Queimaduras
- Fraturas
- Luxação, entorse e contusão
- Acidente ocular
- Envenenamento / intoxicação
- Picada de cobra venenosa
- Ressuscitação cardiopulmonar (RCP)
- Remoção e resgate de vítima
- Vídeos e outros materiais de apoio.


Público-alvo: Através de uma linguagem descomplicada, o curso é destinado a leigos ou profissionais da área de saúde.





CURSO PRESCRIÇÃO DE COSMÉTICOS, DERMOCOSMÉTICOS E NUTRICOSMÉTICOS


CARGA-HORÁRIA TOTAL: 100H (INCLUI CERTIFICADO)


INVESTIMENTO: De R$ 300,00 (Depósito Itaú, boleto ou cartão de crédito em até 12x)


OBJETIVO: Orientar ao profissional da saúde quanto à prescrição de cosméticos e dermocosméticos e a prescrição por via oral de nutricosméticos, enfatizando seus benefícios, indicações e contra-indicações.


CONTEÚDO PROGRAMÁTICO


- Fundamentos e princípios da cosmetologia
- Conceitos de cosméticos e dermocosméticos
- Aplicabilidade cosmética
- Potencial da prescrição de cosméticos e dermocosméticos
- Biologia funcional da pele
- Anátomo-fisiologia
- Farmacologia e bioquímica
- Barreira cutânea
- pH cutâneo
- Biotipo e fototipo de pele
- Mecanismos de intervenção dermocosmética
- Hidratação
- Proteção
- Oclusão
- Emoliência
- Condições que requerem hidratação
- Aplicabilidade e seleção de hidratantes
- Limpeza, adstringência e tonificação
- Mecanismos de ação
- Condições que requerem limpeza, adstringência e tonificação e seus respectivos produtos
- Fotoproteção
- Mecanismos básicos da proteção solar
- Aplicabilidade dos protetores solares
- Indicação e escolha dos protetores solares para prescrição
- Diferença entre dermocosméticos, cosméticos e nutricosméticos
- Nutricosméticos
- Definindo cosmecêuticos e Nutracêuticos
- Envelhecimento cutâneo
- Nutricosméticos e a pele
- Nutricosméticos e os cabelos e unhas
- Comportamento do consumidor de cosméticos
- Grau de risco dos cosméticos, segundo a ANVISA
- Estudos clínicos para comprovar segurança de um cosmético
- A utilização de lipossomas na dermocosmética (nanotecnologia)
- Cosméticos manipulados ou industrializados?

- Vídeo sobre dermocosméticos e cosméticos
- Lipodistrofia ginóide e gordura subcutânea x visceral
- Prescrição de agentes que atuam na adiposidade cutânea
- Clareamento da pele
- Hiperpigmentação cutânea
- Produtos clareadores para prescrever
- Uso de agentes clareadores
- Rejuvenescimento
- Renovação celular
- Tônus e elasticidade
- Ação antioxidante
- Produtos para rejuvenescimento cutâneo
- A pele acneica
- Ação comedolítica
- Mecanismos de ação
- Aplicações no cuidado da acne
- Produtos comedolíticos
- Ação queratolítica
- Mecanismos de ação
- Aplicações em dermocosmética
- Produtos queratolíticos e queratoplásticos para prescrição
- Ação seborreguladora
- Mecanismos da seborregulação
- Aplicações em dermocosmética
- Produtos seborreguladores para prescrição
- Ação anti-inflamatória
- Mecanismos da ação antiflogística
- Aplicações em dermocosmética
- Produtos antiflogísticos para prescrição
- Boas práticas de prescrição de cosméticos e dermocosméticos
- Anamnese
- Plano de cuidado dermocosmético
- Seleção dos cosméticos e dermocosméticos
- Prescrição e orientações ao paciente
- Registro e documentação



CURSO NOÇÕES BÁSICAS PARA FORMULAÇÕES EM EMAGRECIMENTO


CARGA-HORÁRIA TOTAL: 100H (INCLUI CERTIFICADO)


INVESTIMENTO: De R$ 300,00 (Depósito Itaú, boleto ou cartão de crédito em até 12x)


OBJETIVO:


Aprimorar os conhecimentos dos profissionais prescritores, exemplificando com formulações e dando ênfase em fitoterápicos para o emagrecimento saudável.


CONTEÚDO:


- O que o farmacêutico pode prescrever e como prescrever? – Aspectos legais e éticos (ênfase no profissional farmacêutico e nutricionista);
- Índice Glicêmico;
- Equilíbrio hormonal;
- Gordura visceral x subcutânea;
- Prescrevendo nutricosméticos para emagrecimento;
- Prescrevendo Vitaminas;
- Prescrevendo MIP`s (Medicamentos Isentos de Prescrição);
- Probióticos e Prebióticos;
- Fibras;
- Sugestões de formulações para emagrecimento;
- Softwares disponíveis como ferramenta para a prescrição digital;
- Casos clínico;
- Vídeos e materiais de apoio.


PÚBLICO-ALVO:
Farmacêuticos, nutricionistas, acadêmicos e demais interessados.



CONSULTE CONDIÇÕES DE PARCELAMENTO (NO CARTÃO DE CRÉDITO) DO SEU CURSO ATRAVÉS DO WHATSAPP: (21) 99805-2088

fonte: http://gabripharma.blogspot.com/p/cursos-eventos.html

A Gerência de Farmacovigilância alerta sobre o aumento do risco de câncer de pele não-melanoma decorrente do uso cumulativo de hidroclorotiazida

Identificação do produto ou caso:

Hidroclorotiazida

Problema:

Aumento do risco de câncer de pele não-melanoma (carcinoma basocelular e carcinoma de células escamosas) com o uso cumulativo de hidroclorotiazida, diurético amplamente utilizado (isoladamente ou em associação com outros fármacos) para o tratamento da hipertensão arterial bem como para o controle de edemas.

Histórico:

Dados de estudos epidemiológicos demonstraram uma associação dose-dependente cumulativa entre hidroclorotiazida e o câncer de pele não-melanoma. Um estudo [1] incluiu uma população composta por 71.533 casos de carcinoma basocelular e de 8.629 casos de carcinoma de células escamosas pareados a 1.430.833 e 172.462 controles populacionais, respectivamente. Uma relação dose-resposta cumulativa clara foi observada tanto para o carcinoma basocelular como para o carcinoma de células escamosas. Outro estudo [2] mostrou uma possível associação entre câncer de lábio e a exposição à hidroclorotiazida. Ações fotossensibilizadoras da hidroclorotiazida podem atuar como um possível mecanismo para a doença.

Com base em avaliação realizada pela Anvisa e levando-se em conta as informações divulgadas por autoridade sanitária estrangeira [3] foi considerada plausível a associação entre o aumento do risco de câncer de pele não-melanoma e o uso a longo prazo de medicamentos contendo hidroclorotiazida.

Recomendações:

Solicitamos que os profissionais de saúde informem aos pacientes tratados com hidroclorotiazida sobre o risco de câncer de pele não-melanoma, especialmente aqueles pacientes que já fazem uso a longo prazo do fármaco. Os pacientes devem ser orientados a verificar regularmente a sua pele quanto a novas lesões e a notificar imediatamente ao profissional quaisquer lesões cutâneas suspeitas. A Anvisa orienta que não se interrompa o tratamento sem antes consultar o médico. Lesões cutâneas suspeitas devem ser prontamente examinadas, incluindo exame histológico de biópsias. Medidas preventivas tais como limitação da exposição à luz solar e aos raios UV podem realizadas no intuito de minimizar o risco de câncer de pele. O uso de hidroclorotiazida pode ser revisto em pacientes com histórico de câncer de pele não-melanoma.

A Anvisa solicitará a inclusão em bula das novas informações de segurança para todos medicamentos que contém o princípio ativo hidroclorotiazida que ainda não possuem tais informações.

A agência monitora continuamente os medicamentos e solicita aos profissionais de saúde e pacientes que notifiquem os eventos adversos ocorridos com o uso de qualquer medicamento. A comunicação de suspeitas de eventos adversos pelos pacientes pode ser realizada por meio do Formulário de Notificação de Eventos Adversos para o Cidadão ou ainda pelos canais disponíveis para atendimento ao cidadão: Central de Atendimento ao Público e Ouvidoria. Para o profissional de saúde, a Anvisa disponibiliza o sistema Notivisa para a realização das notificações de eventos adversos.

Anexos:

Referências: Pedersen SA, Gaist D, Schmidt SAJ, Hölmich LR, Friis S, Pottegård A. Hydrochlorothiazide use and risk of nonmelanoma skin cancer: A nationwide case-control study from Denmark. J Am Acad Dermatol. 2018 Apr; 78(4):673-681.

Sarah N.Robinson, Michael S.Zens, Ann E.Perry, Steven K.Spencer, Eric J.Duell, Margaret R.Karagas. Photosensitizing Agents and the Risk of Non-Melanoma Skin Cancer: A Population-Based Case–Control Study. Journal of Investigative Dermatology. Volume 133, Issue 8, August 2013, Pages 1950-1955.

PRAC recommendations on signals.

fonte: Site Anvisa

Área: GGMON Número: 72018 Ano: 2018

13 de fev de 2019

Receituários passam a ter validade em todo o território nacional

Entra em vigor nesta quinta-feira, 7 de fevereiro, a Lei 13.732/2018, que torna válido o receituário de medicamentos em todo o território nacional, independentemente da unidade da Federação em que tenha sido emitido, inclusive o de medicamentos sujeitos ao controle sanitário especial. A Lei alterou o parágrafo único do Art. 35 da Lei n° 5.991/1973 e refere-se aos procedimentos regulamentados pela Portaria SVS/MS n° 344/1998.

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) publicou, nesta semana, o ofício circular nº 2, que trata sobre o visto nos receituários controlados, após a publicação da Lei n° 13.732/2018. De acordo com o documento, as regras para aceitação de receitas de controle especial e de notificações de receita emitidas em outros estados permanecem as mesmas, ou seja, o farmacêutico deve apresentá-las à Vigilância Sanitária local no prazo de 72 horas.

De acordo com o parágrafo único do art. 41 e o §3º do art. 52 da Portaria SVS/MS nº 344/1998: serão recepcionados pelo referido dispositivo legal, de modo que, com a entrada em vigor da Lei nº 13.732/2018, continuará “vigente” a exigência de apresentação à Autoridade Sanitária local, para averiguação e visto, no do prazo de 72 (setenta e duas) horas, as Receitas de Controle Especial e as Notificações de Receitas “A” procedentes de outras unidades federativas.

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária encerrou, no dia 4 de fevereiro, a Consulta Pública com proposta de norma que estabelece os critérios e procedimentos para implementação de gerenciamento informatizado da distribuição de numeração e talonários de Receituário de Controle Especial no território nacional. A norma deve ser publicada em breve.

Fonte: CFF
Autor: Comunicação
fonte: http://www.cff.org.br/noticia.php?id=5176