29 de fev de 2016

CFF se alia ao CFM e ABNeuro em campanha de prevenção ao AVC

Os acidentes vasculares cerebrais (AVCs) são transtornos que afetam cerca de 16 milhões de pessoas no mundo, todos os anos. O atendimento médico precoce, logo após o aparecimento dos primeiros sintomas, evita sequelas e o farmacêutico tem muito a contribuir por meio do correto encaminhamento dos pacientes. Ele também pode ajudar orientando sobre as formas de prevenção. “Por isso, aderimos à campanha e contamos com a cooperação dos colegas de todo o país”, explica o presidente do CFF, Walter Jorge João.

A campanha foi lançada pelo Conselho Federal de Medicina (CFM) e a Academia Brasileira de Neurologia (ABNeuro) por ocasião do Dia Mundial do AVC, comemorado em 29 de outubro. A iniciativa envolveu duas ações básicas: foi colocado no ar um site com informações sobre a doença, validadas por especialistas do assunto, e realizada uma ação de esclarecimento por meio de mídias sociais. Para visitar o site oficial da campanha acesse www.avc.cfm.org.br.
“Quanto mais pessoas souberem que é possível prevenir o AVC e que, na fase aguda, o serviço médico deve ser acionado imediatamente, menor o número de pessoas sequeladas”, defende Hideraldo Cabeça, conselheiro federal pelo Pará do Conselho Federal de Medicina (CFM) e membro titular da ABNeuro.
O conselheiro federal do CFM elogia a ação do CFF. “Muitas vezes, o farmacêutico é o primeiro profissional de saúde procurado por alguém que sofre um AVC. Com a adesão do CFF a esta campanha, teremos o apoio dos farmacêuticos para detectar precocemente os sintomas e encaminhar essas pessoas imediatamente para um hospital. A ação do CFF contribuirá para diminuirmos o número de sequelados pro AVC”, elogiou.
Para saber se alguém está sofrendo um AVC (Acidente Vascular Cerebral), peça a pessoa para sorrir, levantar os dois braços e dizer uma frase simples. Caso o sorriso fique torto, um dos braços caia e ela não consiga repetir a frase, não necessariamente os três sintomas, provavelmente estará sofrendo um AVC, devendo ser encaminhada imediatamente a um hospital. Por conta disso, o paciente deve ser avaliado precocemente e receber tratamento em até quatro horas e meia para que as sequelas sejam menores.
Fonte: Comunicação do CFF e do CFM

Nenhum comentário:

Postar um comentário